COISAS

Sabe-me a pouco
este rumor de coisas pequenas
e simples.
O volume do barro,
o ciciar do vento nas folhas rubras,
a concavidade das grutas da falésia
onde o mar se demora.
As minhas mãos
não cabem na brancura
da nudez destas coisas que por serem ingénuas
só se chamam
coisas.

1280-LILIA TAVARES
              Fotografia de © Leszek Bujnowski.

Lília Tavares, in PARTO COM OS VENTOS (Kreamus, 2013)

PARTO COM OS VENTOS - Cópia (2) - Cópia

Anúncios

[É DE BRUMAS]


É de brumas
que as manhãs se cobrem
antes que o sol aqueça
este vazio,
o orvalho pousa-me
pesado, no corpo.
Sei que me podias
soprar estas gotas
e desnudar-me no inverno
como em pleno estio.

5745-LILIA TAVARES
Fotografia de ©Jordanna Kalman
*
LÍLIA TAVARES, in RIO DE DOZE ÁGUAS, 12 POETAS, Prefaciado por Joaquim Pessoa (Coisas de Ler ed., 2012)

LT - RIO DE DOZE ÁGUAS